sexta-feira, 3 de junho de 2011

Encontro vai integrar ações de conservação para a biodiversidade do Estado

Nesta sexta-feira, 3 de junho, o 3° Encontro Estadual de Gestores de Unidades de Conservação (UCs) da Mata Atlântica do Rio Grande do Norte vai reunir representantes de diversos segmentos, em torno de assuntos e projetos atuais sobre a conservação da biodiversidade no estado. Como convidado especial, o diretor de políticas públicas da Fundação SOS Mata Atlântica, Mário Mantovani, estará presente falando sobre o polêmico código florestal e políticas públicas para a Mata Atlântica.

A abertura oficial do evento será às 8h com exposição fotográfica. Depois, haverá palestra com Mário Mantovani, que acompanhou de perto a discussão entre os parlamentares, tornando-se um dos maiores ativistas contra as alterações do código florestal. A palestra "Mata Atlântica: Situação do Nordeste e Pacto pela Restauração" será ministrada pela diretora executiva da Associação para a Proteção da Mata Atlântica do Nordeste (AMANE), Dorinha Melo, que trabalha aproximadamente há 20 anos tentando colocar a biodiversidade do Nordeste como pauta nacional.

A secretária de meio ambiente da Prefeitura Municipal de João Pessoa/PB, Lígia Tavares, apresentará o Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica de João Pessoa, considerado pioneiro no país. Já a Prefeitura do Natal fará no evento o lançamento oficial do Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica de Natal.

Durante o encontro, serão exibidos curtas metragens sobre o Rio Doce e as Dunas de Natal, esclarecendo ao público as características e importância de preservar tais lugares. Os presentes poderão também conhecer um projeto que irá promover o desenvolvimento sustentável no Nordeste, principalmente através da proteção e valorização da biodiversidade da Mata Atlântica da região, criando uma agenda estruturada em ações de conservação. O "Projeto Corredor da Mata Atlântica do Nordeste" será apresentado pelo coordenador técnico da AMANE, Bruno Paes.

O 3° Encontro Estadual de Gestores de UCs da Mata Atlântica do Rio Grande do Norte buscará reforçar a integração com o público ao lançar uma roda de conversa sobre Sistemas Estaduais e Municipais de UCs do Rio Grande do Norte, com a advogada ambiental Liza Baggio. Haverá ainda uma roda de conversa sobre a Rede de Gestores de Unidades de Conservação da Mata Atlântica do Nordeste, projeto que deu origem aos encontros.

O evento está sendo promovido pela Rede de Gestores de Unidades de Conservação da Mata Atlântica do Rio Grande do Norte, pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Urbanismo (SEMURB) e pela Associação para a Proteção da Mata Atlântica do Nordeste (AMANE). Acontecerá no auditório do Parque da Cidade, das 8h às 17h, com entrada gratuita.
Sobre o Projeto "Redes"

O projeto Rede de Gestores de Unidades de Conservação no Centro de Endemismo Pernambuco é realizado pela Associação para a Proteção da Mata Atlântica do Nordeste (AMANE) com apoio do Subprograma Projetos Demonstrativos do Ministério do Meio Ambiente (PDA-MMA). Tem o objetivo de promover a articulação entre os gestores de Unidades de Conservação (UCs), também conhecido como Corredor da Biodiversidade do Nordeste, região de alta biodiversidade que abrange os estados de Alagoas, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte, criando um espaço destinado à interação e a capacitação de pessoas envolvidas com a gestão de UCs.

Podem fazer parte do projeto pessoas que estejam envolvidas de maneira direta ou indireta na gestão de UCs, podendo ser os gestores administrativos das UCs, proprietários de Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs), movimentos sociais, ONGs, assentados e acampados no entorno das UCs, representantes da comunidade residente no entorno, empresários que desenvolvam atividades nas proximidades de alguma unidade, estudantes da área ambiental, etc.

Sobre a Associação para a Proteção da Mata Atlântica do Nordeste (AMANE)

A AMANE é uma associação sem fins lucrativos, cuja missão é proteger e recuperar a Mata Atlântica do Nordeste, por meio da conservação da biodiversidade e do desenvolvimento de benefícios socioambientais. Em 2005, ano em que foi criada, elaborou um Plano de Conservação e Desenvolvimento Sustentável para a proteção da Mata Atlântica do Nordeste, com o objetivo geral de planejar e implementar um conjunto de medidas articuladas, em escala local e regional, a fim de reduzir drasticamente a probabilidade de extinção de espécies que ocorre na Mata Atlântica do Nordeste e proporcionar modelos de desenvolvimento sustentável. Esse documento base vem sendo detalhado em projetos temáticos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário