quinta-feira, 13 de abril de 2017

DAGBALLA: a movimentação da vida.


Enquanto Mawu e Lisa representam a união do equilíbrio da vida, Dagballa seu filho tem a missão mais importante do Universo. Movimentar à vida.
Por ter a missão mais importante do Universo, é considerado para os Povos Fon o Vodun mais adorado. Chamado de: _"O Gerador da vida"_.
Quando Mawu e Lisa constituiram o Universo, todas as coisas e os principais Voduns. Perceberam que à vida não fluía. Faltava algo.
O movimento!
O movimento dos elementos gerador da vida que Mawu e Lisa equilibrara.  
Mawu deu a Dagballa o papel de gerar à vida.
Assim mostrando a ponta da calda do (Vodun Serpente). Dagballa tentando morder a própria calda fez o Universo girar e consequentemente à Terra.
Gerando o dia, a noite, o movimento das marés e com isso o ciclo da vida.

Dagballa Dan Gbésèn. "Dagballa a serpente que gera à vida".

A função sagrada natural de Dagballa são os movimentos, o ciclo da água da chuva, movimentos de rotação que influencia a  movimentação da Lua que por sua vez ajuda o movimento das marés. 
O movimento de translação do Universo dar a Lisa o poder de brilhar para todos os lugares infinitos.
A Terra completa sua rotação a cada 24 horas a uma velocidade de aproximadamente 1.700 quilômetros por hora. Deste modo agradecemos a Dagballa por isso.
Dagballa estar simbolizado no  Arco íris, podendo assim ser chamado de Dan Aido Wedo. Mostra nesse fenômeno o seu compromisso com a movimentação das águas e a continuidade da vida.

Outro símbolo é a imagem da Dan mordendo a própria calda, formando um círculo que simboliza o ciclo da vida, o infinito, a mudança, o tempo, a evolução, a fecundação, o nascimento, a morte, a ressurreição, a criação, a destruição, a renovação.

Dagballa é considerado o Vodun mais adorado é mais importante para os Povos Ewe/Fon localizados na República do Benin  antigo Reino de Danhome (a barriga de Dan).
Conhecido no Brasil como Gbésèn é louvado pelo povo Jeje.

Lisa pune, Mawu perdoa e Dagballa movimenta.

Texto: Vodunsi Cleyton Araújo Olisasi

13 de abril de 2017.